Escolha uma Página
26 de junho de 2020
Mercado imobiliário: tendências para o segundo semestre do ano

O mercado imobiliário há cerca de 2 anos voltou a apresentar bons números. Os resultados de vendas ganharam força conforme a economia aquecia novamente, muito incentivada, inclusive, pelas negociações de imóveis. Em 2020, o setor imobiliário, assim como todos os outros, enfrenta a pandemia do novo coronavírus. No entanto, segundo alguns prognósticos, as tendências ainda apontam taxas de crescimento e de valorização de imóveis, além de trazer novidades nos formatos de venda.

Neste post, portanto, a JCD Incorporadora vai mostrar a você mais detalhes sobre as principais tendências do mercado imobiliário para o segundo semestre de 2020. Vamos conferir!?

Mercado ainda aquecido

Sim, pode parecer estranho falarmos em aquecimento em um momento de crise, mas os números nos dão motivos! O otimismo em relação ao mercado imobiliário, setor tão importante para o crescimento do PIB nos últimos 2 anos, vinha muito forte para 2020. Analistas faziam, no início do ano, uma projeção na casa dos 3% para o setor, o que levou empresas de construção a lançarem produtos novos, sobretudo de alto padrão. Ou seja, existe uma bom número de imóveis à venda, facilitando, assim, as margens para negociações e ofertas.

 Ademais, uma pesquisa realizada pela Brain Inteligência mostrou que dos muitos imóveis comprados em 2020, cerca de 60% tiveram suas negociações feitas durante o período de pandemia, isto é, as empresas demonstram boa capacidade de driblar os obstáculos econômicos, negociar e efetivar a venda com seus clientes. Logicamente, os analistas têm mais cautela em relação aos números de crescimento — não será de 3% como previsto inicialmente, mas a tendência ainda assim é ser apresentado um balanço positivo.

Mais facilidade para financiar

Uma das tendências para o segundo semestre é a de financiar um apartamento com mais facilidade. Isso porque a taxa básica de juros é, atualmente, de 3%, a mais baixa da história, o que significa que financiar um imóvel também estará mais em conta, pois as parcelas estão mais baixas.

 Além disso, foram propostas medidas de estímulo à economia por meio da Caixa Econômica Federal, que aumentou os prazos de carência para o pagamento das primeiras parcelas de financiamento em até 180 dias, o que na prática estende para 6 meses o início do pagamento do um imóvel.

Negociação Digital

Devido a um histórico recente de crise, o mercado imobiliário se mostra mais resiliente frente à pandemia do novo coronavírus, ou seja, o setor está mais preparado para encarar as adversidades econômicas. Hoje, construtoras e incorporadoras mantêm um diálogo maior com os clientes de forma online, havendo essa preparação e adaptação às novas plataformas.

 As empresas oferecem a jornada de compra desde o primeiro contato até a formulação da venda feita de forma digital, o que favorece o ambiente de negócios. Para o segundo semestre, uma forte tendência no setor imobiliário, sobretudo pelo fator de isolamento social, é a intensificação das experiências de compra online.

O mercado imobiliário é, historicamente, uma opção mais segura para investimentos, sobretudo em um momento de instabilidade econômica em que as taxas de juros estão baixos, o que dificulta eventuais investimentos em renda fixa. O setor imobiliário, pelo contrário, tornou-se mais atraente por conta das medidas econômicas, além de manter o seu alto potencial de valorização tanto a médio quanto a longo prazo.

Conheça os empreendimentos que a JCD tem a oferecer como o Aqualina Lake Club e o Campo D’una e garanta um investimento sólido, seguro e com alta rentabilidade. Gostou das nossas dicas? Nós, da JCD Incorporadora, queremos sempre trazer as melhores sugestões para você! Quer saber mais? Acompanhe o nosso blog.

15 + 3 =